quarta-feira, 17 de abril de 2013

Como fazer um borboletário


Parecia até o que dia ontem estava ganho. Fingi que não tinha mil coisas a fazer e passei a manhã toda às voltas com a preparação de um borboletário; finalmente, depois de tantas lagartas!

A última turma que apareceu aqui foi de Automeris sp., uma das espécies mais bonitas que conheci nesse ano. Encontrei algumas delas comendo as marantas de um canteiro novo, que ainda nem acabei de plantar. Eu trabalhando em uma ponta e elas comendo o que eu havia acabado de plantar na outra. Oportunidade melhor, impossível.

Nas semanas que passaram andei guardando umas e outras lagartas em vidros, a maioria lagartas-cachorrinho, mas estava meio improvisado porque os vidros eram pequenos e mal cabiam as folhas para alimentar as aprisionadas.

Pois ontem acordei profissional e resgatei um aquário de 45 litros embrulhado há anos. Nem precisava ser tão grande, mas o espaço foi perfeito pra brincar de paisagista oriental e fazer um jardim zen para as meninas. Junto com o vidro tinha guardado alguns pedaços de toco de madeira que faziam parte do aquário, e usei também no borboletário. Decoração absolutamente desnecessária no quesito funcionalidade, mas fez toda a diferença na boniteza final.


Segundo João Angelo, técnico do Laboratório de Entomologia e Acarologia da ESALQ, para fazer um borboletário básico você só precisa de um vidro com um pouco de substrato no fundo (pode ser terra ou vermiculita) e das folhas que a lagarta estava comendo quando você a encontrou. É que cada espécie de lagarta tem hábitos alimentares específicos, e pode ser que seja difícil descobrir, na base da tentativa e erro, o que vai apetecer a uma lagarta que você encontrou andando por aí. Você pode tentar folhas de couve, de repolho, mas é bem mais garantido conseguir alimentar uma que você tenha encontrado comendo. É só manter o cardápio que ela escolheu.

Além disso, muitas vezes encontra-se lagartas já andando à procura de um lugar onde vão passar pelo processo de metamorfose, e nesse momento elas não querem mais comer, não adianta oferecer alimento. Nessa fase elas precisam mesmo é de um lugar seguro onde vão virar pupa. Esse é o nome do casulinho que constroem quando chega a hora de mudar de estágio. Algumas pupas são chamadas de crisálidas por causa da coloração dourada que têm. Em grego, chrysós significa ouro. E uma curiosidade bem legal: aurélia (aurus é ouro em latim) foi um termo usado no passado para as crisálidas, e dele surgiu aureliano, que é quem estuda o processo de saída da borboleta da crisálida.

Enfim, se você quer acompanhar um lepidóptero em transformação, colete uma lagarta ainda se alimentando e com um pouco de sorte você vai vê-la borboleta.

Conheci o João Angelo enquanto navegava tentando identificar espécies, e escrevi pra elogiar o blog que ele escreve sobre borboletas e perguntar se ele não gostaria de identificar as que fotografei. Ele, super simpático, me respondeu sugerindo que eu fizesse o borboletário, porque é mais fácil identificar os indivíduos adultos (borboletas e mariposas) do que os imaturos (lagartas e taturanas) que tenho mostrado aqui no blog.


Lavei o aquário, coloquei vermiculita no fundo (por acaso tinha comprado recentemente, para o viveiro), ajeitei os tronquinhos e fui coletar folhas e lagartas. Já tinha percebido que as folhas de maranta enrolam rapidamente depois de cortadas, e murchas assim as lagartas não querem, então instalei dois vasinhos de vidro com água dentro do borboletário para manter as folhas mais frescas até serem devoradas.

Com pauzinhos e a ponta de uma tesoura caçei uma a uma as sete peludas que encontrei, e com paciência fui passando todas para dentro da casa nova, convencendo-as de que as instalações são de primeira.


Nos primeiros minutos andaram bastante, fazendo o reconhecimento da área. No vidro não conseguiram subir - acho que ficou escorregadio depois da limpeza - mas logo encontraram as madeiras e as folhas.


O nhac-nhac começou em poucos minutos e logo já davam cabo de grandes pedaços de folhas. Como comem! E como "descomem"! Em menos de uma hora os cocozinhos pretos já caíam na vermiculita.


Hoje foi o dia 2 do borboletário; vamos ver quanto tempo dura a brincadeira. Enquanto isso deixo vídeos, para quem quiser passar minutos a fio assistindo junto comigo ao hipnotizante programa A vida das lagartas. 

 



Veja também: - Notícias do borboletário - o primeiro casulo

27 comentários:

  1. Hipnotizante mesmo!!!! Muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Adorei isso! Gostaria de ter um!
    Vera

    ResponderExcluir
  3. Juliana

    Amei seu blog

    Já há algum tempo sigo o blog da Neide
    e entrei aqui a partir de sua referência.
    Ficaria encantada se você visitasse o nosso
    quintalzinho autossustentável no Blog:

    plantandooverdeeoverbo.blogspot.com.br.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gilda, também adorei seu blog, parabéns! Realmente, amor, flor, verdura e palavra são sementes. E você tem galinhas, que delícia! Quando eu crescer quero ser assim "quiném" você!
      Que bom que veio "pelas mãos" da Neide. Ele é uma grande amiga.
      Um beijo e seja sempre muito bem vinda,
      Juliana.

      Excluir
    2. Bacana , estamos nos preparando para montar um em casa

      Excluir
  4. Que brincadeira interessante, bom para fazer com estudantes, não?
    Abraço!
    Sonia

    ResponderExcluir
  5. eu tô c uma lagarta numa árvorezinha no meu quintal desde o fim do ano passado. ela movimenta o casulo de lá pra cá na árvore, come folhas e restaura o casulo desde então. hà alguns dias notei q ela parou de se mover c o casulo. será q agora ela vira borboleta? tá demorando tanto! rsrs
    bjs
    Cristiane
    postei sobre ela aqui:
    http://www.ciclicca.blogspot.com.br/2013/03/no-casulo.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristiane, também tinha um casulo desses aqui nos meus temperos em vasos mas ele sumiu. Capaz que já tenha criado asas e voado e eu nem vi. Legal seu site, gosto dele. Aliás, já conhecia. Algumas citações aqui e ali às vezes me levam a você.
      Um beijo e volte sempre,
      Juliana.

      Excluir
  6. adorei.minha filha de 5 anos adora borboletas e resolvi pesquisar.e encontrei vc.agora com suas dicas.seus videos.posso passar para ela um poco desse mundo magico e colorido das borboletas e juntas vamos cuidar melhor delas

    ResponderExcluir
  7. Que post legal! Realmente hipnotizante, adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paula! Como vão suas galinhas? Me manda fotos delas e dos seu galinheiro? Fiquei morta de curiosidade!
      Um beijo,
      Juliana.

      Excluir
  8. Oi!

    o link para o blog do João Angelo está quebrado :(
    Aparece apenas esse endereço: http://blogspot.com.br

    Fiquei curiosa para conhecer o blog dele tb ;)

    Adorei muito os videos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabi, obrigada pelo toque. Já consertei o link.
      Um beijo e volte sempre,
      Juliana.

      Excluir
  9. olá ,tudo bem?
    eu tenho um pé de majericão em casa, na sacada.
    Ele vai bem, mas de um tempo para cá tenho visto que na parte de trás da folha tem uns bichinhos pretinhos mínimos que aos poucos fazer a folha ficar meio ressecada.
    tiro as folhas fora ,mas não sei se está na terra.
    Ele fica no tempo ,mas na sombra.Pega sol por umas 2h.
    Na floreira junto com ele tenho salsinha e orégano.
    Agradeço a orientação.
    Ingrid.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ingrid, já respondei a essa sua pergunta no post de pragas do inverno, se não me engano. Você viu?
      Um beijo,
      Juliana.

      Excluir
  10. Ha ha ha, encontrei a estagiária que estávamos precisando...
    Brincadeira amiga. Perfeito seu (insetário), ou, mini borboletário.
    Tudo certinho, provavelmente você irá conseguir adultos, sejam eles moscas ou vespas parasitoides ou a sorte de ver a mariposa. Esta espécie pode demorar um pouco para emergir o adulto, não perca as esperanças. O segredo é depois que puparem, manter a umidade, burrifando água no substrato.
    Parabéns pelo capricho e boa sorte.
    Estou por aqui se precisar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João, adoraria fazer um estágio com você, pena que não estamos assim tão perto para ir e voltar todo dia.
      Muito obrigada pelas dicas, e prepare-se porque ainda vou te perguntar muito coisa. Só tenho dúvidas!
      Um abraço,
      Juliana.

      Excluir
  11. Oi Gabi e amigos o link para meu blog é:
    http://borboletasbr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. E quando a lagarta vira borboleta deve ser solta neh?

    ResponderExcluir
  13. Parabéns pelo seu blog gostei bastante faço faculdade de biologia e venho estudando esses insetos, ou melhor venho criando esses insetos ,até pra saber o tempo que eles vão demorar para virar adultos maduros ,seu comportamentos dentre outras coisas e achei no seu blog exatamente oque estava procurando valeu :) Divaldo Junior

    ResponderExcluir
  14. Ah, que lindo esse site! E que lindo seu trabalho com as lagartinhas. Elas são realmente criaturas encantadoras (e um tanto incompreendidas). É raro encontrar alguém que goste delas.

    Um abração,

    Tedd.

    ResponderExcluir
  15. Você é fantástica! Parabéns! Adorei os relatos sobre o borboletário e a forma como você narra para nós as suas experiências ;) Sensacional!
    Beijão

    ResponderExcluir
  16. Excelente borboletário!! amei!!parabéns!!

    ResponderExcluir
  17. Boa tarde!Estou louca pra ter essas belezas Divinas aq comigo,mas nao sei por onde começar,me ajuda por favor!!como quais plantinhas ter...meu imail brunaalbuquerqueurucania@gmail.com aguardo retorno amoooo borboletas

    ResponderExcluir
  18. Boa tarde!Estou louca pra ter essas belezas Divinas aq comigo,mas nao sei por onde começar,me ajuda por favor!!como quais plantinhas ter...meu imail brunaalbuquerqueurucania@gmail.com aguardo retorno amoooo borboletas

    ResponderExcluir
  19. Otimo trabalho , João Angelo a necessidade de alguma autorização e ou regulamentação de algum orgão federal ; estadual e ou municipal , para exercer esta atividade ; borboletario.
    tem um amigo quer iniciar esta atividade e possivel um parque ecologico.
    sds

    Ronaldo -Salvador-Ba.

    ResponderExcluir
  20. Encontrei uma lagarta nas folhas de verdura, como eu tinha jogado um monte de sementes de pimentão e pimenta dedo de moça, e o vaso esta cheio de folhas, a coloquei neste vaso. Notei que algumas folhas estão comidas. Hoje, meu marido achou uma outra lagarta no chão, muito colorida, gorda e grande. A coloquei junto. O vaso não é fechado, então se terei borboletas ou mariposas, não irei saber, com certeza, nem as verei. Qual é a chance de uma delas ser comida por pássaro?

    ResponderExcluir

Muito obrigada por comentar.
E se você não tem um blog nem um endereço no gmail, para enviar seu comentário basta clicar na opção "anônimo", logo abaixo da caixa de texto. Mas, por favor, assine seu nome.