quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Filhotas mimadas

No dia 14 de junho deste ano, depois de passar exatos 60 dias regando uma bandeja com terra sem saber se as sementes de cambuci iriam germinar, ganhei de presente essa figurinha:

O primeiro broto deu o ar da graça e já foi capaz de me fazer achar que os dois meses de expectativa sem dúvida tinham valido a pena. O cambucizeiro, árvore cientificamente batizada de Campomanesia phaea, corre risco de extinção. Em abril, quando ganhei alguns quilos da fruta para extrair as sementes (leia aqui), me propus o desafio de fazê-las germinar como forma de brigar contra a possibilidade de desaparecimento de mais uma espécie de fruta nativa brasileira. Essa árvore já foi muito comum na região da atual cidade de São Paulo; tanto que até batizou um bairro, onde hoje infelizmente é raro encontrá-la.
Sua madeira é resistente e de boa durabilidade em ambientes internos. Foi muito utilizada no madeiramento de construções e na fabricação de cabos de ferramentas e instrumentos agrícolas.
Quando adulta, a árvore mede de 3 a 5 metros de altura, tem o tronco descamante característico das espécies da família Myrtaceae e suas folhas, se maceradas, exalam o cheiro do cambuci.
Essa fruta, aliás, tem formato curioso: o jeito e o tamanho de uma empadinha, mas é convexa em cima e embaixo. Igualzinha a um disco voador. É verdade! Outra curiosidade é que, assim como um abacate, o cambuci é de cor verde mesmo quando está maduro. É comum encontrá-lo no interior dos estados de Minas Gerais e São Paulo dentro de garrafas de pinga. Dizem que o suco também é muito gostoso, melhor até do que a fruta consumida in natura. Eu ainda não tive oportunidade de provar, mas se depender dos meus esforços isso não deve demorar a acontecer.

Minhas arvoretas já tem cerca de 15 cm de altura. São as mais mimadas do meu micro viveiro doméstico, tem sombra especialmente criada para elas, já que são sensíveis ao sol forte, e estão protegidas por uma tela porque já foram atacadas por um sabiá gordo que deu cabo de algumas dezenas delas. Isso mesmo, o folgado comeu várias mudinhas de cambuci num ataque só. Foi enquadrado na categoria "criminoso ambiental"!
.

Ainda não decidi para onde vão as crianças quando estiverem em idade para transplante, mas certamente serão plantas em lugares escolhidos a dedo. O mesmo dedo cuidadoso que conseguiu fazê-las germinar. Modéstia a parte!

13 comentários:

  1. Olá meu nome é Angela e fiquei muito feliz em saber que vc se dedicou ao cambuci com carinho.
    Ja morei na serra em uma cidade chamada Paranapiacaba onde hoje existe uma festival dedicado ao cambuci.
    Infelizmente faz 17 anos que mudei de lá ainda menina, mais ainda lembro do gostinho maravilhoso da fruta. Estou tentando encontrar sementes agora que tenho lugar para elas, gostaria de saber se vc sabe onde posso compra-las? Um grade abraço.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Angela! É verdade, em Paranapiacaba acontece o Festival do Cambuci todo início de ano, época em que as frutas amadurecem. Outras cidades do interior de SP e MG também promovem eventos festejando a época de frutificação do cambucizeiro e divulgando essa fruta tão pouco conhecida. Legal saber que você conhece e gosta tanto! Quanto a sementes, deve ser praticamente impossível comprá-las. São sementes frágeis, perdem facilmente o poder germinativo. Acho que será mais fácil você encontrar mudas da árvore a venda. Ou então visitar um festival do cambuci no início do ano, comprar frutas frescas e fazer o processo desde o início, como eu fiz.
    Em que cidade você mora atualmente?
    Me escreva um e-mail (juliana@deverdecasa.com) e te indico um produtor de mudas na sua região.
    Um abraço e volte sempre!
    Juliana.

    ResponderExcluir
  3. tem uma muda ai para mim ? muito bacana o seu blog. Grizu me passou a dica e já inclui nos favoritos. []s e manda um beijo e muitas saudades para tu vizinha

    ResponderExcluir
  4. Oi, Scara!
    Claro que tem! Vamos esperar que elas cresçam mais um pouquinho porque acho que ainda estão muito frágeis pra viajar, mas no início do ano podemos combinar como faço pra te mandar.
    Obrigada pela visita e volte sempre!
    Juliana.
    PS: encaminhei seus beijos pra vizinha!

    ResponderExcluir
  5. Olá, meu nome é Mario Torres e sou de Cubatão/SP
    É gratificante quando a gente consegue achar aquilo que procura, conheço essa fruta tão exótica desde criança,e lá se vão 71 anos. Tenho uma pequena propriedade e através de uma prima consegui duas mudas de cambuci, uma quando estava para florecer definhou e secou, a outra cresceu e futificou, na primeira florada produziu muitos frutos, e desde então venho tentando fazer como fazes, tentando fazer germinar, mas nunca consegui tirar uma única muda sequer. Há mais ou menos um mês tornei a semear várias frutas que já estavam "passadas", todos os dias são regadas e até a presente data nada apareceu na terra que pudesse me dar ilusão qua seria uma muda. Por esse motivo, é que recorri à internet, que me deu muita satisfação em saber que como eu tem muita gente interessada em divulgar o valor desta frutinha de sabor impar. Com referência a outra frutinha (aquela vermelha - figurinha difícil) tenho três pés frutificando, mas difissilmente consigo saboreá-las, pois os passarinhos chegam primeiro, só sobrando as sementes que planto com todo carinho e faço doação. Outra raridade que cultivo com carinho, é o palmito jussara, pois tenho aproximadamente 100 pés adultos, e na época de frutificação é uma festa para os pássaros que se alimentam de seus frutos. O interessante, é que as melhores sementes do jussara, são aquelas que são descartadas pelos pássaros nas diversas arvores existentes no local. Hoje, tenho também um pequeno viveiro de mudas do jussara, provenientes das sementes que cato em baixo das referidas árvores, pois as sementes que caem pura e simplesmente são mais dificeis de germinar. mario.torres40@ig. com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá, Mário,
    muito obrigada pela sua visita e seu comentário.
    Gostei de saber que você também tem tentado produzir mudas de cambuci. Duas coisas que na minha opinião fazem toda a diferença:
    1- depois de separar as sementes da polpa da fruta, deixe secar aquela mucilagem que as envolve, porque se colocá-las na terra frescas, a mucilagem apodrece e estraga a semente. Não coloque sob sol forte nem por muitos dias. Dois ou três dias secando na sombra clara já é o suficiente. Se secaram demais perdem o poder de germinação; parecendo secas ao toque já é o suficiente.
    - depois de enterrá-las sob uma camadinha fina de terra soltinha (coisa de 0,5 cm), borrife água todos os dias por cerca de 2 meses. Foi o tempo que as minhas demoraram para germinar no ano passado. Não pode deixar a terra secar durante esse tempo mas também nao pode enxarcar. Eu fiz a sementeira em bandejas e potinhos com furos no fundo, pra escorrer o excesso de água.
    E é isso. Aproveite que estamos em plena safra neste mês e tente de novo. Tomando esses cuidados acho que não vai ter erro. Vou torcer. Boa sorte!
    Um abraço e seja sempre muito bem vindo ao De Verde Casa.
    Juliana.
    PS: já foi visitar Paranapiacaba esse ano? Começou neste final de semana (02 e 03 de abril) o festival do cambuci. O suco no Bar da Zilda é uma delícia! Além dele tem bolo, trufa, pinga, mousse e mais um monte de coisas de cambuci!

    ResponderExcluir
  7. Ah, e mais uma coisa: o cambuci produz muitas sementes chochas, ou seja, que não germinam. Comparando todas as que você retira de uma fruta, vai perceber que algumas são mais gordinhas e outras bem chatas, magrinhas. Essas são as estéreis, então costumo descartá-las pra não ocupar espaço na sementeira, já que não devem mesmo germinar. Uso só as gordinhas, que muito mais provavelmente germinarão.
    Mais um abraço,
    Juliana.

    ResponderExcluir
  8. Ola,
    gostei muito do seu blog. Sou professor de bioquimica para alunos de Ciencias Biologicas (futuros professores de Ciencias e Biologia). Parabens pelo blog. Trabalho com pesquisas bioquimicas sobre o cambuci. Atualmente estou fazendo livros didaticos para o ensino fundamental (1 ao 5 ano) e gostaria de usar suas fotos de sementes germinado do cambuci para ilustrar o livro. Voce autoriza Os livros nao tem fins lucrativos e sao distribuidos gratuitamente para alunos da rede publica de Sto Andre. Aguardo, segue meu email - robertosallai@hotmail.com

    ResponderExcluir
  9. Olá...
    Como faço para adquirir algumas sementes de cambuci?
    Obrigado!
    ricardocontini11@yahoo.com.br

    Ricardo Araraquara - SP

    ResponderExcluir
  10. Uma coisa estranha é que não encontrei em nenhum lugar explicando sobre viabilidade das sementes, dizem que é só se consegue muda se tiver outras árvores por perto, já em outros não dizem nada, que o tempo para germinação em alguns livros dizem de 15-30 dias e outros 50-60...

    O que vale de verdade?

    ResponderExcluir
  11. Eu também gostaria de uma muda ou um punhado de sementes de cambuci. Te envio o envelope selado se for preciso. :)

    ResponderExcluir
  12. Querida, aqui em Aldeia-PE, tem muitos cambucis árvores nas áreas preservada dos condomínios e nas APAS. Eu também estou tentando fazer as mudas, mas é realmente muito perecível as sementes.
    Alcmene. Andrade@ gmail.com

    ResponderExcluir
  13. NO ano passado eu separei frutos já passados, lavei e escolhi sementes boas e semeei as sementes em vários vasos com terra preparada, no início de agosto deste ano começaram a nascer dezenas de pezinhos(50 quilos de frutas-50 mudinhas) em uma fazenda antiga em Itapecerica da Serra eu encontrei centenas de mudinhas pois poucas pessoas conhecem as mudas, pretendo fazer uma plantação da fruta em meu sítio e devolver algumas a natureza.Contato marcelino.v.m@bol.com.br

    ResponderExcluir

Muito obrigada por comentar.
E se você não tem um blog nem um endereço no gmail, para enviar seu comentário basta clicar na opção "anônimo", logo abaixo da caixa de texto. Mas, por favor, assine seu nome.